Por que influenciadores são tão importantes?

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Em Social Analytics falamos muitas vezes sobre Influenciadores, agrupando qualquer pessoa que fala sobre sua marca. Mas há uma grande diferença entre os usuários que estão apenas mencionando sua marca ou produto em um comentário ou tweet, e aqueles que estão recomendando sua marca ou se envolvendo ativamente com suas campanhas.

 

São essas pessoas com quem queremos falar. Influenciadores podem nos ajudar muito, como embaixadores da marca.

 

Quando a NetBase fala sobre o uso do engajamento para ganhar valor por meio de dados sociais, estamos falando muito sobre influenciadores. Menções são ótimas, mas influenciadores são o seu público principal e os que o ajudarão a criar, ajustar, executar e difundir campanhas de marketing.

 

Esses são seus cavaleiros Jedi.

 

Profissionais de marketing, usem a Força!

 

OK, talvez isso seja um pouco exagerado, mas Star Wars ronda nossas mentes desde o lançamento da última edição, O Despertar da Força, e depois, Rogue One. Esse ano teremos ainda o Episódio VIII: Os Últimos Jedi sendo lançado.

 

Indo além, o objetivo de romper a barreira demográfica “tradicional” é encontrar influenciadores sociais. Isso porque eles fazem muito do trabalho para você, como embaixadores da marca.

 

Para encontrar esses influenciadores, usamos o Audience 3D, a ferramenta de análise de audiência da Netbase, para cavar o que faz um verdadeiro fã de Star Wars. Queríamos observar esses devotos fãs “em seu natural” para ver o que os faz agir e como eles interagem com outros usuários e marcas on-line.

 

De 400.000 autores únicos na população em geral, encontramos 140 mil pessoas mencionando Star Wars. Esse é um grande número, mas é um pouco enganador, pois há muito “barulho” nessa amostragem. Usando o Audience 3D, reduzimos esse número para 84 mil entusiastas verdadeiros. Essa é uma grande diferença. Por que isso importa? Chegaremos lá em um parsec.

 

Cavando mais fundo

 

Primeiro, ainda queremos quebrar esses 84 mil em segmentos mais gerenciáveis. Porque nossa mensagem precisa ser individualizada, certo? Então precisamos saber o que mais esses fãs amam.

 

Por exemplo, os falantes falam sobre outras marcas e produtos como: Xbox, Playstation, Nintendo, Batman, Doctor Who, Game of Thrones, The Walking Dead, Lego, NASA, Apple Watch e Big Hero 6. Essas grandes pistas nos dizem que são pessoas não convencionais, longe do mainstream.

 

Mas os verdadeiros entusiastas, aqueles genuinamente engajados, têm interesses em nichos mais específicos que podemos aproveitar. Os 84.000 estavam falando sobre Jessica Jones, Benedict Cumberbatch, Witcher 3, Halo 5, Suicide Squad, Arrow, Daredevil, Mad Max, Capitão América. Agora estamos chegando a um ponto, certo?

 

E você pode se aprofundar ainda mais – para descobrir os fãs de Star Wars de todas as idades que também adoram pizza, ou Nutella, ou droides BB8. Mais é mais quando se trata de encontrar segmentos de audiência únicos.

 

Então os citadores são inúteis?

 

Não. Os “citadores” (mentioners) também são um alvo. E eles listam uma grande rede de interesses: Apple watches, videogames e séries de TV. Mas ser capaz de ver o que os verdadeiros fãs de Star Wars curtem é crucial para se comunicar com eles o H2H (humano a humano).

 

Esses insights mais profundos aparecem quando nos livramos do “ruído” mencionado acima – quando identificamos e removemos nomes de usuários, hashtags ou linguagem “spammy”, como “cupons” ou “notícias”. Quando removemos tudo isso do conjunto de dados, a conversa entre o grupo de fãs é muito mais limpa e, francamente, é construída por seres humanos reais.

 

Essas são as pessoas com quem você quer conversar. São as estrelas da sua marca – espalhando sua mensagem em todo o universo social. Os “citadores” são agradáveis – mas estão destinados a desaparecer.

 

Quer saber mais sobre como se conectar com influenciadores por meio de segmentos de público individualizados? Contate-nos para uma demonstração para ver o que podemos fazer pela sua marca.

 

Image by Sam Howzit

 

Artigo traduzido do original http://www.netbase.com/blog/difference-matters/

Siga a Polis:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.